Duda enfrenta novos desafios, sem memórias vive uma rotina nova ao lado da família, dos semeadores e de um possível novo amor. Esther não suporta a realidade e, num ato extremo, transforma a vida de Duda para sempre deixando sua alma ainda mais perdida. Duda, confusa, perambula entre dois mundos até que se sente obrigada a tomar uma grande decisão para seu futuro. Por amor vale tudo e até onde podemos ir em seu nome?















O livro começa falando sobre a vida de Duda a partir de agora, sem memórias e dentro de um lugar no qual a deixa confusa e sem saída ela não sabe mais o que fazer. 
Em seu último dia ela sai pra passear com um enfermeiro no qual criou muita empatia e um desejo de mante-lo por perto muito grande. 
Duda está ansiosa e confusa para sair, ainda mais quando descobre onde encontrar o enfermeiro fora dali. 
Esther anda preocupada com Duda pois não tem mais notícias da mesma e do mesmo modo não sente mais que ela precisa de sua companhia pois já existe mais aquela ligação entre as duas. Esther ainda passa a se relacionar com Jasmine, porém não se trata daquilo que Esther deseja e então decide por terminar, onde o ódio de Jasmine mostra suas garras, o que devo dizer que veremos está menina novamente lá na frente. 
Se aproveitando de sua fragilidade, os pais de Duda a enchem de memórias nas quais não existem e assim sua mente a engana e leva a acreditar e até mesmo criar flashs que não existem.
Duda está se descobrindo novamente, está ansiosa para ver o enfermeiro no qual fez um passeio no seu ultimo dia na clinica novamente. Porém, Duda decide ir a uma das reuniões do templo no qual seus pais frequentam e ao ouvir algo relacionado a vampiros começa a não se sentir bem, ou seja ainda é afetada pelos mesmos.


"Sentia-me segura com ele, e nossa proximidade ganhava força a cada gesto ou palavra. Era estranho, mas procurava não pensar nisso e apenas aproveitar um dos poucos momentos em que me sentia normal, que era em sua companhia"

Duda decide sair e o enfermeiro a segue para saber se está bem e resolve cuidar dela e leva-lá para casa para cuidar dela até seus pais voltarem do templo após a reunião, Samael (o enfermeiro) começa a contar sua história e então assim eles se beijam, algo prematuro eu sei, mas ao mesmo tempo eu acho que ele pode ajuda-lá, não sei, minha intuição pode mudar muito ao longo da história do livro.


"Por fim, olhou-me e sorriu, aproximando-se um pouco e tocando de leve meu rosto com a palma de sua mão. Afetuoso, sibilou um "não chore" sem som."

"Seu aroma de hortelã era tão quente, estava frágil... Nossos lábios se encontraram e eu me permiti não pensar."

Duda então tenta viver sua vida, se distrair com novas coisas e afazeres, se lembra um pouco da sua vida antiga, antes de conhecer Esther, seu pai não se encontra satisfeito em momento algum com o que mão de Duda fez para sua filha, acredito que como todo pai deseja que sua filha seja feliz.
Esther com a ajuda de seu fiel amigo então decidem sequestrar Duda para trazer seu grande amor de volta e suas memórias, porém o que ela não sabia era que talvez não pudesse ser criadora, pois estava em seu sangue quando era humana e continuou sendo mesmo vampira. A criadora de Esther certamente ao meu ver não mostra que sente um certo ódio por Duda, mas acredito que o afeto cresce quando vê que Duda passa a ser sua filha.

O livro tem uma escrita fácil e de rápido entendimento, sem muito enrolar, eu diria. 
Diferente de livros sobre vampiros que li anteriormente Ju escreve cada capítulo nem objetivo sem dar aquele suspense de 1000 páginas até chegar onde deveria ter chegado a muito tempo. A trama acontece de maneira rápida sem deixar que o livro seja massante e chato. E é isso que eu gosto pois a história é intrigante, rápida e objetiva, ao qual você não se cansa de ler. 
Gostaria de dizer a Ju que estou esperando ansiosamente pela continuação, se tiver claro. Pois ainda quero saber o destino de Os Semeadores e dos pais de Duda, ou Cerise.


Bom amores, espero que tenham gostado e não esqueçam de adquirir o livro Doce Vampira clicando no banner ao lado. Milhares de beijos e até mais 


Deixe um comentário