Elizabeth é uma mulher de 28 anos, de Brasília, que decide começar o ano de 2013 de forma diferente. Estagnada? Podemos dizer que sim. Sem perspectiva de mudanças? Também! Ela busca algo melhor para si, por isso vai a Porto Seguro passar o reveillon com as amigas para encerrar uma fase de sua vida e dar início à outra, mais adulta e com muitos desafios. Lá, ela conhece Antônio, uma advogado também de Brasília. Eles curtem juntos e quando voltam a Brasília começam um romance. Elizabeth está se descobrindo. Ela pede demissão de seu emprego e começa se dedicando aos cursinhos para concurso. Antônio já é estável e independente. Quem é ela? Ela se pergunta e comparada a ele, ela se acha um Zé Ninguém. Ela se sente perdida em meio à tudo que tem que aprender e descobrir sozinha. Ela é uma pessoa honesta e sincera consigo mesma; luta para se analisar e se entender sempre; ele quer ajudá-la profissionalmente. Ele quer mais! Ela luta contra ele, tenta não se entregar, luta para ser honesta consigo mesma e aprender mais sobre si mesma sempre. Eles se casam, apesar de Elizabeth colocar empecilhos e juntos têm dois filhos. O primeiro livro desta trilogia é sobre esse primeiro momento, no qual os dois estão se descobrindo, ela buscando se profissionalizar, ele aprendendo com ela a se abrir mais, se conhecer, a filosofar, a analisar sua vida, seus pensamentos e a ser honesto consigo mesmo. Os dois buscando um relacionamento cada dia melhor, aprendendo sobre o casamento e também buscando o que os satisfaça sexualmente. Eles se dedicam muito à vida sexual do casal, aprendem sobre o corpo do outro, sobre os gostos do outro; se conhecem e melhoram juntos, com carinho, dedicação e atenção. É um livro no qual Elizabeth discute muito consigo mesma, tenta entender suas neuroses, tenta se descobrir sexualmente e descobrir como é o casamento, a gravidez, a vida a dois e sua luta por melhoria profissional. Com um final muito triste e cheio de esperanças para o próximo livro.


O livro conta a história de Beth, uma mulher de 28 anos que não tem expectativa de nada, não se valoriza e vive se colocando para baixo. Decide então passar o Ano Novo em um lugar diferente, ela então conhece Antonio, o cara ao seu ver todo perfeito.

No livro tem uma parte que diz assim "Há coisas na vida que sempre serão as mesmas. A ideia de que a mulher tem que ser casta e pura? Isso já era! Isso foi alguém quem colocou na nossa cabeça, é mito. "
Na verdade não, são os nossos pais que colocam isso na nossa cabeça ou até mesmo Deus, por que essa é uma de suas leis, até o casamento a mulher tem que ser casta e pura, então não foi qualquer um que colocou isso na nossa cabeça, então eu acho que se foi estabelecido é pra ser seguido, a personagem é muito sem expectativa, talvez por isso ela pense assim. Eu achava que não valia a pena ficar me guardando até que quase eu cometi o ato e depois conheci o meu namorado e vi o quão importante é a minha pureza para ele. 
Quero deixar claro que não sou contra quem já se entregou para alguém e não se arrepende. Apenas estou expondo minha opinião pois muitas das vezes as mulheres acham pouca coisa se entregar pra alguém, só que eu acho que deve ser especial.
Eu não sei se já aconteceu com vocês mas este livro é totalmente contraditório a minha opinião, ou seja, eu não concordei com praticamente nada dito nele, sei la.
No começo do livro quando eles estão se conhecendo o sexo é mais intenso e cheio de detalhes porém quando os dois decidem se casar tudo passa a ser diferente ou seja, menos intenso e sem detalhes como se fosse uma obrigação transar. Mais pro final do livro eles começam a acender a chama do amor.
Depois que ela conversou com a mãe sobre António ter supostamente a traído ela fica nessa de ficar mandando mensagens para ele no qual diz sobre o que cada uma está sentindo e sinceramente eu acho isso muito "infantil" por que se ela já sabia o que queria porque ficar enrolando? Mandando mensagem com trecho de música? Vamos la filha? Se mexa e fale com seu homem. E outra acho que sua mãe e sua sogra não deveriam se meter no assunto dos dois, ela e ele tem que se decidir, ela sai e não deixa ele explicar o resto da história então tem que abrir a sua mente e pensar como uma pessoa sensata que deve ouvi-lo.
Beth, sempre se coloca para baixo, e então é ai que entra Antonio, o cara mais perfeito do mundo, ela acha que depois que ela saiu do emprego ele vai sofrer sendo quem sustenta a casa, porém ele vive driblando isso e puxando o saco dela o tempo todo. Ele não tem um defeito, eles são perfeitos, porém ao final do livro, eles descobrem que ele está doente e é ai que começa o "drama".
Sem tanta enrolação eu achei que o livro é muito grande com informação desnecessaria, esse perfeccionismo dele não atrai leitores, pois nós leitores gostamos de ação, brigas de verdade, problemas.
As falas são cheias de informação que se dá até preguiça de ler, sinceramente. 
O livro não me conquistou e sinceramente eu empurrei até o final com a barriga pulando algumas partes.
Peço mil desculpas a autora primeiramente, e depois aos leitores que realmente gostaram, porém o livro não me agradou, eu não consegui absorver nada de bom. 

Bom, é isso. Até mais.


Deixe um comentário